Soure Sustentável

No âmbito do Aviso POSEUR 11-2015-18, o município de Soure apresentou 2 candidaturas “Compostagem em Soure “ e “Recicla Soure” de acordo com  estratégia e objetivos definidos no Plano Estratégico para os Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU) 2020, que acenta numa gestão de Resíduos Urbanos (RU) que garanta a proteção do ambiente e da saúde humana, minimizando os impactos resultantes da sua gestão, respeitando o princípio da hierarquia dos resíduos. Para tal, e em linha com o integral cumprimento da legislação nacional e das metas europeias estabelecidas, é fundamental a prevenção de resíduos, a diminuição da quantidade de resíduos urbanos biodegradáveis (RUB) depositados em aterro e a sua valorização, o aumento da preparação para valorização material das frações recicláveis e o incremento da reciclagem de embalagens e de resíduos de embalagens. 

Objetivos Estratégicos
•Promover a eficiência da utilização de recursos naturais na economia
•Prevenir ou reduzir impactes adversos decorrentes da produção e gestão de resíduos

Objetivos Operacionais
•Prevenir a produção e a perigosidade dos resíduos
•Adequar e agilizar os processos administrativos
•Fomentar o conhecimento do setor numa lógica de ciclo de vida
•Promover o fecho dos ciclos dos materiais e o aproveitamento da energia em cascata
•Adequar e potenciar o uso dos instrumentos económicos e financeiros
•Fomentar a cidadania ambiental e o desempenho dos agentes
•Consolidar e otimizar a rede de gestão de resíduos
•Gerir e recuperar passivos ambientais

O Plano Nacional de Gestão de Resíduos (PNGR) propõe uma estratégia para a gestão nacional de resíduos, promovendo a prevenção e gestão de resíduos integradas no ciclo de vida dos produtos, centradas numa economia tendencionalmente circular e que garantam uma maior eficiência na utilização dos recursos naturais. Segundo o PERSU 2020, a economia assenta num elevado nível de consumo de recursos que após utilizados são convertidos em resíduos. Enquanto no passado se procurava eliminar os resíduos atualmente estes devem ser encarados como um recurso, e neste sentido o município pretende promover a reciclagem, recuperação e utilização como matéria-prima, em detrimento da tradicional deposição em aterro. Será assim promovida a economia circular, de forma a contribuir para a eliminação progressiva da deposição direta  de Resíduos Urbanos Biodegradáveis (RUB) em aterro. 
Considerando que as autarquias, enquanto entidades gestoras do sistema de RU, devem adotar estratégias que permitam responder aos novos desafios colocados, prestar um melhor serviço aos seus cidadãos-munícipes, e atingir os seus objetivos, as candidaturas apresentadas pelo município  de Soure pretendem reforçar a aposta na prevenção da produção de resíduos e no desvio de matérias recicláveis e de fluxos especiais de resíduos de aterro, com vista à sua valorização e à redução da sua perigosidade minimizando os perigos para o ambiente. 

Tendo em consideração as ações a realizar,  assim como a sua autoridade enquanto entidade gestora do sistema de RU, o município cumpre com os princípios de “Prevenção e Redução”,  “Preparação para a Reutilização”, e “outros tipos de valorização”.

Não sendo possível evitar a produção de um determinado resíduo é fundamental que os consumidores, enquanto produtores de RU, conheçam e compreendam o modo de funcionamento dos sistemas de gestão e a importância da recolha seletiva como garantia para a melhoria da qualidade dos recicláveis e assim do incremento das taxas de reciclagem (PERSU 2020). 
O envolvimento dos consumidores, enquanto produtores de resíduos, através de ações de educação e sensibilização ambiental que alterem hábitos e atitudes comportamentais é um dos fatores-chave, para que o município alcance os objetivos relacionados com a gestão sustentável de resíduos. A sensibilização e a dotação de conhecimentos e meios à comunidade na ótica do fomento da compostagem e da Reciclagem contribuirão ainda, diretamente, para a meta da redução da deposição de RUB em aterro. 


Um impacte ambiental direto dos sistemas de tratamento de resíduos é a emissão de odores, nomeadamente das unidades de compostagem e deposição em aterro. A exposição prolongada a odores pode causar impactos físicos ou psicológicos, dependendo da concentração de gases. A resposta da exposição a um determinado odor é muito subjetiva, estando dependente do tipo de cheiro, intensidade do odor e do contexto em que ocorre. Em situações extremas, estes odores podem afetar a população, interferindo com as relações humanas, socioeconómicas, por via de investimento de capital, condicionando o crescimento de determinada região. 
Assim, as ações revelam-se necessárias na medida em que vão permitir, diretamente, diminuir a quantidade de RU depositados em aterro, e indiretamente, com a diminuição de RU em aterro será possível diminuir as emissões atmosféricas, e diminuir as queixas relativamente aos odores provocados por estes. 
A economia assenta num elevado nível de consumo de recursos que após utilizados são convertidos em resíduos. Enquanto no passado se procurava eliminar os resíduos, atualmente este são encarados como um recurso, procurando-se promover a sua reciclagem, recuperação e utilização como matéria-prima, em detrimento da tradicional deposição em aterro. 

Associadamente aos investimentos em novos equipamentos para a recolha seletiva, o município prevê o aumento da reciclagem, assim como a reutilização de RU recicláveis que podem ter outra utilização para além do original. Divulgar ideias, técnicas e outras formas de reutilização de bens/materiais também faz parte das campanhas a realizar. Para além de informar aos munícipes as formas corretas de seleção de resíduos, e quais os seus efeitos para o meio ambiente, e consequentemente para a economia do concelho.

Um concelho mais limpo e ambientalmente consciente é mais atrativo para o turismo, esses efeitos são consequentemente fatores de alavancagem para a economia.